No dia 25 de Abril a junta de freguesia da zona onde vivo decidiu iniciar as celebrações deste dia há meia noite, através de fogo de artifício. Nesse mesmo dia manifestei-me nas redes sociais e num e-mail privado o meu descontentamento, procurando explicar os seus malefícios. Neste sentido, decidi partilhar este artigo onde informo as razões pelas quais devemos acabar com esta forma de festejo. Afinal é uma tradição prejudicial tanto a nível económico, como ambiental, animal e de saúde pública. Assim, apresento-vos os malefícios dos fogos de artifícios.

 Malefícios dos fogos de artifício + blogue português de sustentabilidade e combate ao desperdício + Terra Chama Telma + Telma Henriques Ribeiro

Malefícios dos Fogos de Artifício

Consequências para a saúde pública:

       Em primeiro lugar, há que referir o malefício dos fogos de artifício em termos de saúde pública. Ao assistirmos ao espectáculo de fogos de artifício respiramos diversas substâncias nocivas à saúde. Aquando da explosão do fogo de artifício liberta-se uma enorme quantidade de SO2, CO2, CO e matéria particulada. Matéria articulada é um conjunto de partículas finas com diâmetros muito pequenos e com boa capacidade de penetrar nas nossas vias respiratórias, bem como nas trocas gasosas dos pulmões. Assim, a exposição perante um espectáculo destes pode resultar em vários sintomas respiratórios, devido à inalação tóxica das substâncias presentes no fumo que acaba por ficar no ar durante horas a fio. Estas partículas são especialmente gravosas se inaladas por pessoas com patologias respiratórias como a asma, por exemplo.

       Para além disto, a poluição sonora faz com que afecte particularmente portadores de deficiências mentais que não consigam entender o que se trata, como por exemplo autistas. Por seu turno, quem tenha epilepsia que se despoleta por um acordar abrupto também sofre consequências com esta escolha de festejo. Isto já para não referir crianças que acordam assustadas a meio da noite, trabalhadores por turnos que normalmente têm problemas de insónias, etc.

Consequências para animais:

       Os animais são mais sensíveis a ondas sonoras. Assim, o barulho provocado pela explosão dos fogos poderá causar danos físicos na audição de diversos animais. Por outro lado, tal como nós, a inalação de material particulado tóxico pode provocar problemas respiratórios. Para além disto, não entenderem o que se passa quando ouvem a poluição sonora. Neste sentido, faz com que associem o som a perigo de vida, causa-lhes medo e stress que os leva a abandonar ninhos ou lares de acolhimento, no caso de animais domésticos. Por este mesmo motivo é que nos dias seguintes a haver espectáculos deste tipo é frequente ver-se vários pedidos de ajuda por animais terem fugido das suas casas.

 

Consequências ambientais:

       Tal como expliquei anteriormente, as explosões causam poluição do ar num curto espaço de tempo. Formam uma nuvem enorme de partículas tóxicas em suspensão, que não se desintegram, nem decompõem, por isso acabam por sedimentar nos solos e nos sistemas aquáticos (mares, rios e lagos). Neste sentido, posteriormente vão acabar por entrar nos organismos vivos, incluindo os humanos, desencadeando os referidos problemas de saúde.

       Numa outra perspectiva, a combustão do fogo de artifício, por escassos minutos de eventual felicidade para quem assiste, acaba por libertar por todo o mundo toneladas de CO2 para a atmosfera, o que agrava seriamente as alterações climáticas, a médio-longo prazo. Por seu turno, as embalagens dos foguetes acabam por cair nas florestas, aumentando o risco de incêndios. Podem também cair em águas (nomeadamente lagos, rios e oceanos), lixiviando o resto da pólvora para a água e para os animais. O impacte ambiental derivado deste tipo de festejo está identificado desde a sua produção, sendo identificadas concentrações de perclorato nas águas subterrâneas junto às respectivas fábricas.

Malefícios dos fogos de artifício + blogue português de sustentabilidade e combate ao desperdício + Terra Chama Telma + Telma Henriques Ribeiro

Gastos financeiros

       O gasto exorbitante com os fogos de artifício que proporciona escassos minutos de prazer visual simplesmente não se justifica. Há inúmeras outras formas de festejo que trazem menos malefícios ao Planeta e às vidas de todos os seres vivos. Muitas delas bem mais económicas e assim pode-se poupar dinheiro para gastos mais relevantes que ajudem famílias carenciadas, por exemplo. É muito importante sabermos onde é gasto o dinheiro pelas entidades que governam a zona em que vivemos. Existem avultados gastos entregues a este tipo de festejos, volto a referir, por escassos minutos de espectáculo.

 

       Em conclusão desta partilha, gostaria de vos convidar a serem activistas na vossa própria cidade/ vila/ aldeia. Convido-vos a enviar um e-mail à vossa junta ou câmara da vossa zona de residência. Alertem-nos para todos estes malefícios que afectam as mais diversas vertentes (podendo inclusivamente copiar estes mesmos pontos aqui referidos, acrescentando a vossa própria conclusão). Neste contexto, expressem a vossa vontade para que, nos próximos festejos, optem por actividades menos prejudiciais ao bem-estar comum. Devemos aprender-nos a colocar-nos mais no lugar do próximo e lutar por causas que nos acabam por afectar a todos.

 

Por fim, e acharem que se justifica, partilhem o artigo dos malefícios dos fogos de artifícios.
Promovam-no para que mais pessoas tenham consciência dos malefícios nefastos do uso de fogos de artifício.

 

Terra Chama Telma + blogue português sobre sustentabilidade e combate ao desperdício

Se gostaste do artigo, segue as redes sociais: facebook e instagram.
E claro, caso queiras ler mais, então não te esqueças de partilhar o artigo e/ou comentar com a tua opinião.
Recomendo que leias também: